Como Produzir

Solo-Cimento

O solo-cimento é um material obtido através da mistura homogênea de solo, cimento e água, em proporções adequadas e que, após compactação e cura hidrica resulta num produto com características de durabilidade e resistência.

A construção com solo-cimento é merecidamente reconhecida como uma técnica milenar, os Estados Unidos utilizaram o solo-cimento durante a segunda Guerra Mundial na construção de pistas de aeronaves na Ilha do Pacífico, o que resultou em um enorme Know How técnico. No Brasil os primeiros estudos sobre a estabilização foram feitos no ano de 1941.

Composição

Solo

É possivel produzir Tijolos Ecológicos com qualquer tipo de solo, porém o solo mais indicado pelo custo beneficio é o solo arenoso, que contém na faixa de 60% a 80% de areia e 40% a 20% de argila, Quando este tipo de solo não for encontrado, pode-se utilizar um solo com propriedades mais argilosas, porém será necessário corrigi-lo.

Cimento

Hoje o cimento portland é normalizado e existem onze tipos no mercado.

Umidade

A umidade deve ser feita de forma gradativa, sem exceder a quantidade de água na mistura, pois a umidade tem a função de proporcionar a melhor compactação do material sem que o tijolo fabricado grude nas paredes da caixa molde da máquina ou que se esfarele ao ser retirado.

Preparando o Solo para Mistura

Existem dois casos a serem observados, são eles:

1 – Triturando o Solo (no caso de torrões)

O solo deve estar isento de resíduos minerais e orgânicos como (pedras, galhos, madeiras, plasticos, etc…), quando o solo estiver com apenas torrões naturais em solos secos e duros você poderá utilizar um triturador de solo para desfazê-los.

SOLO COM TORRÕES ECO TRS-70 TRITURADOR DE SOLO SOLO TRITURADO
SOLO COM TORRÕES
ECO TRS-70 TRITURADOR DE SOLO
SOLO TRITURADO

2 – Peneirando o Solo (no caso de impurezas)

Para separar resíduos minerais e orgânicos do solo como (pedras, galhos, madeiras, plasticos, etc…) deve se usar uma peneira. Existem 2 (duas) maneiras diferentes para peneirar o solo (basta você escolher a melhor para atender a sua produção):

ou
SOLO COM IMPUREZAS PENEIRA COM MALHA 3 X 3mm ECO PER-24R PENEIRA ROTATIVA   SOLO PENEIRADO
SOLO COM IMPUREZAS
PENEIRA COM MALHA 3 X 3mm
ou
ECO TRS-70 TRITURADOR DE SOLO
SOLO PENEIRADO
Produzindo

Mistura

Mistura-se solo triturado ou peneirado com o cimento na proporção média de 10% a 15% e umedece com água, de tal modo que há uma estabilização do solo pelo cimento, melhorando as propriedades da mistura dando assim resistência e perfeito acabamento aos Blocos, Tijolos ou Pisos Ecológicos.

SOLO CIMENTO UMIDADE
SOLO
CIMENTO
UMIDADE

A umidade da mistura é verificada através de procedimentos simples, ao apertarmos na mão a massa de forma enérgica, deve-se formar um bolo com marca nítida dos dedos em relevo.

Formas de Mistura

Mistura Automatizada

Para grandes produções aconselhamos que a mistura seja efetuada em um misturador da linha Eco Mix Force, com sistema de mistura rotativo sextavado fazendo a homogeneização de forma rápida, sem perda de tempo, umidade e sem aumentar os grumos da mistura.

Eco Mix Force

Mistura Manual

Para produções que não utilizem os equipamentos de mistura automatizada deve se fazer a mistura manualmente.

Obs. Após a mistura umidecida grumos serão formados, deve-se peneirar o composto com uma peneira manual ou um Eco TRS-70 Triturador para Solo para re-homogeneizar e desfazer os grumos da mistura.

Compactação

Depois da mistura pronta, basta carregar uma de nossas máquinas para produção de blocos, tijolos ou pisos ecológicos, onde será feito o carregamento, a compactação e depois o saque.

Como Curar

O processo de cura dos blocos, tijolos e pisos ecológicos é realizado através da molha.

Esse sistema é dividido em:

Manual

Aspersão

Imersão

O mais importante a destacar é que independente da escolha do tipo de cura deve-se manter os blocos, tijolos e pisos ecológicos umedecidos da mesma maneira pelo qual os mesmos foram prensados por 7 dias, exceto quando é utilizado o cimento de classificação CP-5, onde a cura é de 3 dias.

Dica: Todos os processos de cura devem ocorrer de preferência em locais cobertos com proteção de chuva, ventos excessivos e do sol. Quando não se dispõe de áreas cobertas para a cura é aconselhado utilizar lonas pretas para cobri-los.

Cura por Aspersão Manual

A Cura por meio da aspersão Manual é realizada através de Mangueiras, regadores e outros componentes do Gênero. Ao iniciar o processo deve-se molhar os produtos com um leve e fino chuvisco, tomando a precaução de não afetar o acabamento, qualidade e resistências dos blocos, tijolos e pisos ecológicos.

Após um período do inicio da cura os blocos, tijolos e pisos ecológicos ganham mais resistência, desta maneira a adição de água poderá aumentar gradativamente, podendo ficar cada vez mais forte. Deve-se ficar atento para que a os produtos não percam umidade, evitando assim a queda de qualidade dos mesmos.

Cura por Aspersão Mecanizada

Manual ou Automatizada

Manual – A Cura por meio da Aspersão Mecanizada Manual é realizada através de uma névoa de água, como exemplo as utilizadas para passar veneno ou molhas em granjas. O processo ocorre através de mangueiras e/ou canos elevados e distribuídos por diversos bicos aspersores previamente ajustados e fixados sobre os blocos, tijolos e pisos ecológicos, desta maneira quando a rede estiver aberta a água liberada pelos aspersores irá vaporizar penetrando delicadamente sobre os produtos.

Automatizada – Basicamente o sistema de Cura por Aspersão Mecanizada Automatizada é o mesmo que o Processo de Cura por Aspersão Mecanizada Manual. A diferença entre os dois sistemas consiste na colocação de um sensor temporizador de umidade e de calor (Falta de Umidade), o sistema de temporização detecta quando ocorre a falta de umidade e automaticamente aciona os sensores que irão vaporizar e manter a umidade necessária.

Cura por Imersão

A Cura por Imersão é considerado por muitos a mais eficiente com relação a diminuição do tempo para execução da função, além de manter a umidade dos produtos mais uniformes. Mesmo levando em consideração essas avaliações positivas, ainda é o processo menos utilizado devido a exigir um maior aporte Financeiro.

Neste sistema os blocos, tijolos e pisos ecológicos serão imersos dentro de um tanque por um período de 2 à 30 minutos, dependendo do tipo de solo Utilizado. Estas peças devem estar estocados em paletes com altura máxima de 1,5 metros de altura, devendo estar empilhados de forma firmes e seguros, pois as movimentações de transporte é realizado através do auxilio de empilhadeiras, pórticos, ponte Rolante entre outros.

Imerção dos Tijolos Ecológicos

Tijolos Ecológicos Imersos

Retirada dos Tijolos Ecológicos

É indicado que após doze horas da prensagem os blocos, tijolos e pisos ecológicos sejam imersos, caso neste período notar-se que os produtos estão perdendo umidade rapidamente deve-se molhá-los levemente, para não afetar a qualidade, acabamento e resistência dos mesmos.

Dica: Para que possa ser identificado qual o tempo ideal para que a produção fique emersa, recomendamos esse teste:
Após retirar o palhete do tanque reparta uma unidade para ver se a umidade atingiu ao meio da peça produzida, caso tenha alcançado significa que o tempo é satisfatório. Faça vários testes com tempos diferentes, pois assim encontrará o tempo ideal para a absorção do seu material, e nunca se esqueça blocos, tijolos e pisos ecológicos bem curados oferecem alta resistência, Qualidade e Acabamento.

Cura para Pisos Ecológicos

Quando falamos em pisos ecológicos subentendemos que a proporção de cimento é mais elevado que os blocos e tijolos ecológicos, por isso a tendência é que a umidade seja absorvida rapidamente, desta maneira a adição de água deve ser mais freqüente para que o piso ecológico não entre no estado febril, ou seja, resseque.

O ressecamento tanto de pisos como de blocos e tijolos ecológicos fazem com que o produto perca um percentual de resistência, caindo assim a qualidade dos mesmos, pois com a falta de água o cimento não reage com o solo da maneira correta.

Observação: Quando é mantida a mesma umidade que saiu do equipamento, durante o processo de cura, a chance de se obter produtos de qualidade é certa. Por isso respeite o processo de cura de acordo com o tipo de cimento utilizado e obtenha Boas Vendas.

Como Estocar

As recomendações para que haja uma produto de qualidade inicia-se no empilhamento logo após a retirada do tijolo ecológico da máquina. Os fabricantes espalhados pelo mundo, utilizam de vários métodos para o empilhamento, mas cada um busca a melhor forma de atender a sua necessidade em particular, ou seja, de acordo com espaço físico, números de funcionários e até mesmo a quantidade produtiva diária podem determinar qual a melhor forma desta ação.

Vamos ilustrar algumas formas utilizadas por nossos clientes, mas devemos lembrar que você deve buscar a que melhor te atende, consultando um técnico ou perito:

Empilhamento em Palete

Aplicado pela maioria dos fabricantes este método de empilhamento para cura e estocagem é o mais indicado, pois os tijolos em paletes não ficam em contato com o piso, a movimentação e o carregamento também é mais prático quando se utiliza paletes.

Obs.: Depois de curados os tijolos ecológicos podem ficar a céu aberto ou seja expostos ao tempo

Empilhamento no Chão

Este método de empilhamento é utilizado por produtores que preferem fazer o processo de cura e a estocagem fora dos Paletes, onde permanecem em um local plano, concretado, coberto e com o mínimo de intervenções externas. Podendo ser transferidos para os paletes depois de três dias (para conclusão da cura), ou permenecer no chão até o momento da entrega.

Nos dois casos, os mesmos podem ser empilhados de forma inter-travada, unilateral, sobreposta ou alternada, dependendo das condições das superfícies do chão ou palete, sendo também influenciada pelo tipo de material utilizado, porém os cuidados com a sobrecarga também deve ser mantido, pois o excesso de fiadas podem comprometer os tijolos que estiverem na parte inferior, afinal ao sair da máquina o mesmo se encontra frágil.

Como Transportar

O transporte até a obra é um fator importante a ser considerado, pois um bom acondicionamento dos produtos no veículo é fundamental para que não haja um número excessivo de unidades quebradas no trajeto.

Existem vários métodos, porém vamos ilustrar os mais utilizados e que obtiveram os melhores resultados.

Transporte com Carregamento em empilhadeira

O carregamento da carga no caminhão de transporte feito com uma empilhadeira é o método mais rápido utilizado, uma empilhadeira proporciona muita segurança e agilidade na distribuição da carga, porem deve-se levar em consideração a forma de descarga, que se não haver a presença de um Munk, deverá ser feita manualmente de forma unitária.

Transporte com Carregamento em Munk

Os carregamentos realizados com caminhão Munk são outra opção para os fabricantes que desejam otimizar o tempo de carga e descarga e não dispões de outras formas mecanizadas para concluir a tarefa. Essa operação não é tão rápida como a do uso de uma empilhadeira, mas é tão eficiente quanto a mesma, pois o mesmo Munk que faz o carregamento, também faz a descarga no local de entrega.

Transporte com Carregamento Manual

O carregamento realizado manualmente requer muita agilidade por parte dos colaboradores que farão a operação, pois os mesmo devem empilhar de forma ordenada, sem deixar em falso os tijolos.

Quais as Vantagens

São muitas as vantagens da construção modular ecológica em relação ao método construtivo convencional, porém a economia no final da obra, a praticidade, a rapidez, a limpeza e a beleza da construção com tijolos ecológicos fazem com que este método construtivo se torne cada vez mais comum nas atuais obras, construções e reformas, veja algumas das vantagens oferecidas:

Assentamento

Os Tijolos Ecológicos possuem encaixes perfeitos e pode ser aplicado com cola PVA, argamassa comum, argamassa polimérica, misturas artesanais ou até mesmo só sendo encaixados. O assentamento é rápido e prático gerando assim obras limpas, sem entulhos e desperdícios dando mais agilidade e facilidade na construção.

Vigas e Amarrações

Os dutos que se formam no assentamento são preencidos com concreto formando os grautes (colunas estruturais por toda a obra), os tijolos canaletas possuem um formato em “U” e também são preenchidos com concreto formando cintas de amarração por toda a obra, tudo isso é feito sem a utilização de madeiras para as caixarias gerando economia e rapidez.

Conforto Termo-Acústico

Os dutos que se formam durante o assentamento e que não são concretados permitem que o ar fique em constante movimento dento das paredes proporcionando um conforto térmico em dias quentes e frios, estes mesmos dutos também isola e protege a parede de ruídos externos.

Elétrica e Hidráulica

Além das camadas termo-acústicas os dutos também formam condutores para rede elétrica e hidráulica, evitando assim a quebra das paredes normalmente feito no método convencional.

Acabamento

Os tijolos ecológicos após assentados ficam perfeitamente alinhados formando uma superfície plana e lisa. São várias as opções de acabamento sendo que em todas as opções a econômia prevalece, veja as mais utilizadas:

Rejunte e Impermeabilização: A parede deverá ser rejuntada e impermeabilizada.

Rejunte e Pintura/Textura: Depois de rejuntar pode-se aplicar uma pintura ou textura.

Cerâmica: Pode ser aplicada diretamente na parede, inclusive sem rejunte.

Emboço/Reboco: Pode ser revestida com uma camada fina de reboco ou gesso, pois a parede é alinhada.

Porque é Ecológico

Em tempos de sustentabilidade, cada vez mais nos acostumamos com produtos e serviços que são ecologicamente corretos, o Tijolo Ecológico se apresenta como uma solução para combater a degradação ambiental causada pela fabricação de tijolos convencionais (cerâmicos), além de inúmeras vantagens em sua aplicação.

O TIJOLO ECOLÓGICO é fabricado por um processo bem diferente do tijolo convencional, vamos as comparações:

Tijolo Convencional

De uma forma resumida, vamos apontar o ciclo de destruição da natureza para se produzir os tijolos convencionais (cerâmicos). A extração de argila dos mananciais, o desmatamento para retirada de lenha e a emissão de gases tóxicos na atmosféra, são alguns exemplos.

Só no Brasil se produz em média 2,5 bilhões de peças de cerâmicas por mês, o que significa que 98,7 milhões de m³ de argila que são retirados dos mananciais mensalmente, destruindo de forma definitiva várias fontes de água doce, deixando de abastecer os lençóis freáticos, causando erosão e alterando o comportamento da fauna e flora.

Após a argila ser industrializada, os artefatos fabricados são queimados em fornos que usam madeira como combustível, retirada em sua maioria de desmatamentos clandestinos. Em média 17 milhões de árvores de médio porte são derrubadas mensalmente, ou seja, para cada milheiro produzido de 8 a 12 árvores são derrubadas.

O volume de árvores queimadas mensalmente geram 2,3 toneladas de CO² que são emitidas indiscriminadamente na atmosfera, causando doenças respiratórias e contribuindo para o aumento do aquecimento global.

Tijolo Ecológico

O Tijolo Ecológico não utiliza nenhuma das pratica acima, pois para ser produzido utiliza-se apenas solo, cimento e umidade.

SOLO CIMENTO UMIDADE   TIJOLO ECOLÓGICO
SOLO
CIMENTO
UMIDADE
TIJOLO ECOLÓGICO

Para seu endurecimento (cura) utiliza-se apenas água.

OU OU
MANUAL ASPERSÃO IMERSÃO   TIJOLO CURADO
MANUAL
OU
ASPERSÃO
OU
IMERSÃO
TIJOLO CURADO

A redução nos impactos ambientais com o Tijolo Ecológico ainda pode ser bem maior, pois ele também pode ser produzido utilizando resíduos da construção civil, indústriais e até orgânicos.

Resultado

O Nome Tijolo Ecológico se dá pois em sua produção não estimula-se a degradação do meio ambiente, pois não destroi os mananciais com a retirada de argila, o processo de endurecimento do tijolo ecológico é feito por meio de cura (molha) que devolve a natureza toda a água utilizada através da evaporação, eliminando o uso de fornos para a queima de madeiras evitando que toneladas de gases tóxicos sejam lançados na atmosfera e desestimulando o desmatamento.

JUNTE-SE A NÓS!

Resumindo… O Tijolo é Ecológico porque a cada milheiro produzido:

  • Não destrói os mananciais (que são fontes naturais de abastecimento de água);
  • Deixa de derrubar e queimar de 8 a 12 árvores de médio porte;
  • Não emite gases poluentes (CO2) à atmosfera;
  • Contribui para o aumento da renda e oferta de emprego;
  • Possibilita construções ECOLÓGICAS, belas, rápidas e econômicas.

Lembre-se das vantagens dos Blocos, Tijolos e Pisos Ecológicos, e divulgue essa idéia!

Modelos de Blocos e Tijolos Ecológicos

Bloco e Tijolo Ecológico Modular Padrão

Os acabamentos das laterais nestes tipos de Blocos e Tijolos são com chanfros bem acabados de 6x6mm, com encaixe macho e fêmea, arredondados.

Estes modelos de Blocos e Tijolos Ecológico são os mais utilizados pela sua praticidade, pois ele serve para paredes como intermediários, cantos (quinas) de paredes e colunas maciças ou vazadas.

Em virtude do sistema vazado e encaixe perfeito na vertical, eles permitem a passagem tanto dos dutos elétricos quanto do sistema hidráulico, deixando de quebrar paredes para passar os mesmos. Assim, se evita o aumento de entulhos, o desperdício com materiais, quebra-quebra e a restauração das paredes, sendo que no sistema convencional de construção este tipo de prejuízo é inevitável.

O acabamento dessa alvenaria aparente será realizado apenas pelo rejuntamento dos vãos entre os tijolos e em seguida com sua impermeabilização.

Meio Bloco e Meio Tijolo Ecológico Modular Padrão

Utilizado para terminação de paredes internas, janelas, portas e outros se necessário. A grande vantagem do Meio Bloco e Meio Tijolo Ecológico é que não precisa ficar cortando ou quebrando o mesmo para fazer o término das paredes. O executor da obra não erra no tamanho ideal e muito menos terá que parar seu serviço para medir e cortá-lo em pedaços.

Portanto, facilita e garante um bom acabamento quando é utilizado, evitando desperdícios. Além disso ele garante mais agilidade, limpeza e economia às construções.

Bloco e Tijolo Ecológico Canaleta Modular Padrão

Disponível em vários modelos, sendo que os mais utilizados são os de encaixe com furos. Sua principal característica é a possibilidade de ser colocado em diversas posições e dimensões, servindo como vergas embaixo e em cima das janelas e nas portas, além de ser utilizado para reforço no meio de paredes e respaldo (viga em cima da última fiada).

O Bloco e Tijolo Ecológico Canaleta possibilita a passagem de conduítes como: rede de água, esgoto, elétrica, eletrônica, antenas de TV, telefones entre outras.

Bloco e Tijolo Ecológico Maciço Modular Padrão

Existem Blocos e Tijolos Ecológicos Maciços em vários modelos com encaixe redondo, trilho, sistema tradicional com arestas 6×6 mm (avista aparente), de um lado com aresta e outro liso ou liso/liso dos dois lados. Eles oferecem também um bom isolamento contra ruídos e alta resistência. Geralmente em uma construção que trabalha com a técnica solo-cimento este tipo de Bloco ou Tijolo é utilizado até a terceira fiada, já que posteriormente os executores das obras priorizam os com furos para ser possível a passagem das instalações hidráulicas e elétricas.

Por outro lado, esse formato é muito aplicado na construção de paredes aparentes de acabamento liso perfeito, como: churrasqueiras, lareiras, fornos, pisos, jardins, e dentre outros.

LEMBRAMOS QUE ESTES SÃO ALGUNS MODELOS DE BLOCOS E TIJOLOS ECOLÓGICOS, ATRAVÉS DE NOSSAS MAQUINAS É POSSÍVEL PRODUZIR MAIS DE 30 MODELOS DIFERENCIADOS.

Pisos Ecológicos

Com a versatilidade das trocas de matrizes modeladoras da caixa molde® as Máquinas da Indústria Eco Máquinas também produzem pisos ecológicos com várias opções de alturas e diversas figuras em relevo, podendo ser redondas, lisas, frisadas ou com desenhos personalizados aprovados pelo Departamento Técnico e de Engenharia da Eco Máquinas.

Os pisos fabricados proporcionam um acabamento diferenciado com medidas milimétricas, as Máquinas da Indústria Eco Máquinas são as únicas do mercado que possibilitam a produção de variados modelos de pisos em um só equipamento, tudo de forma versátil, belas e com ótimo custo-benefício, já que se adaptam a todos os tipos de ambientes.

Alguns Modelos de Pisos Ecológicos:

PISO FRISADO

PISO REDONDO

PISO LISO

PISO TÁTIL ALERTA

PISO TÁTIL DIRECIONAL

O assentamento do Piso Ecológico é rápido, permitindo o tráfego de pessoas e veículos logo após o assentamento.

Veja alguns exemplos de Pisos Ecológicos já finalizados.

Tijolos com Resíduos Sólidos

Resíduos da construção civil

Tijolo Ecológico a Solução Definitiva para os Resíduos da Construção Civil

A construção civil encontra-se em destaque, em contrapartida também encontra-se como grande gerador de impactos ambientais, modificando paisagens e aumentando de maneira assustadora a sua geração de resíduos.

O setor de Resíduos Sólidos da Construção Civil se depara com o grande desafio de conciliar sua atividade produtiva e lucrativa com o desenvolvimento sustentável consciente. Neste sentido, a Lei 12.305/2010 também conhecida como Política Nacional de Resíduos Sólidos regula o manejo ambientalmente correto dos resíduos sólidos, implementa metas de redução, reutilização, reciclagem no intuito de reduzir a quantidade de resíduos e rejeitos para destinação final.

Transforme Resíduos da Construção Civil em Matéria Prima

Depois de coletados os resíduos devem passar por um controle de qualidade onde serão retirados possíveis materiais a serem reaproveitados como metal, papel, plastico e outros. O que sobra pode ser facilmente triturado para a produção de blocos, tijolos, pisos ecológicos e outros.

BRITADOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Triture Grandes Volumes de Resíduos da Construção Civil com Rapidez e Agilidade

Entrada de Resíduos da Contrução
Saída de Resíduos Triturados

A Linha de Britadores Eco Brita moe e tritura com muita eficiência grandes volumes de resíduos da construção civil com rapidez e agilidade, com uma simples regulagem em sua saída os britadores produzem vários tipos de granulométrica, gerando então areia, pedrisco, brita 0, brita 1, brita 2 e brita 3.

A Linha de Britadores Eco Brita moe e tritura com muita eficiência grandes volumes de resíduos da construção civil com rapidez e agilidade, com uma simples regulagem em sua saída os britadores produzem vários tipos de granulométrica, gerando então areia, pedrisco, brita 0, brita 1, brita 2 e brita 3.

Os resultados obtidos podem ser aplicados em varias etapas de uma construção ou obra. Dos materiais gerados devemos mencionar algumas aplicações:

Areia

Pedrisco

Brita 0

Brita 1

Brita 2

Brita 3

O Processo de Fabricação de Blocos, Tijolos ou Pisos Ecológicos do Resíduo da Construção Civil é Muito Simples:

RESÍDUO DA
CONSTRUÇÃO CIVIL
ECO BRITA
(TRITURADOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS)
MÁQUINA PARA
TIJOLOS ECOLÓGICOS
  TIJOLO ECOLÓGICO
DE RESÍDUOS DA
CONSTRUÇÃO CIVIL
RESÍDUO DA
CONSTRUÇÃO CIVIL
ECO BRITA
(TRITURADOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS)
MÁQUINA PARA
TIJOLOS ECOLÓGICOS
TIJOLO ECOLÓGICO
DE RESÍDUOS DA
CONSTRUÇÃO CIVIL

Outros Tipos de Resíduos

No processo de indústrialização, muitos resíduos sólidos são gerados e uma grande maioria destes não são reaproveitados ou são descartados de forma indiscrimidada.

A Eco Máquinas sempre desenvolveu pesquisas e estudos e já coleciona dezenas de testes de produção de tijolos ecológicos com resíduos sólidos, a equipe do Laboratório da Eco recebe de clientes de todo o Brasil matéria prima para ser testada, nossos técnicos fazem testes produzindo o traço perfeito para que essa matéria prime vire tijolos ecológicos incentivando clientes que possuem variados tipos de resíduos a produzirem blocos, tijolos e pisos ecológicos.

Dentre dezenas de exemplos de resíduos sólidos que são compatíveis com a produção de tijolos ecológicos, vamos citar alguns:

BAGAÇO DE CANA DE AÇÚCAR

RESÍDUO DE MINERAÇÃO

PÓ DE MÁRMORE

PÓ DE VIDRO

CINZA VULCÂNICA

GESSO

SÍLICA

LODO

CASCA DE COCO

Muito se fala em desenvolvimento sustentável, mas a aplicação de práticas de reciclagem de resíduos através da fabricação de tijolos ecológicos é um exemplo de como agregar ao produto o selo de ecologicamente correto, a Eco Máquinas possui uma linha de produtos que beneficiam estas matérias primas para a produção de blocos, tijolos e pisos ecológicos. Entre em contato e vamos juntos praticar a sustentabilidade.

ALGUNS TIJOLOS ECOLÓGICOS DE RESÍDUOS DIVERSOS

Tijolos com Resíduos Orgânicos (do Lixo)

Lixo a nova matéria prima da humanidade

Já somos mais de 7 Bilhões de habitantes, sendo que cada individuo produz em média, 1,25 kg de lixo por dia, isto é, 9 bilhões de toneladas diariamente.

Todos esses resíduos geram problemas ambientais como poluição do ar, terra e nascentes de água. Alguns órgão e empresas já reaproveitam alguns materiais, mas o que sobra ainda não é reaproveitado.

Após 19 anos de pesquisas, desenvolvimentos e testes, concluiu-se o PROCESSO KONLIX, que transforma lixo em tijolos ecológicos para construção civil da seguinte forma:

Após ser recolhido dos aterros sanitários, o lixo passa por um processo de higienização, em seguida os itens recicláveis são reaproveitados (metais, plásticos, entre outros), o que restou é TRITURADO E PENEIRADO até virar uma areia, depois é misturado com o aditivo konlix, que encapsula e inibe o desenvolvimento de bactérias como coliformes fecais, streptococcus e vários outros, resultando em um composto limpo e dentro dos padrões microbiológicos da ANVISA E INMETRO.

Processo Konlix

Higienização

Triturado e Peneirado

Enclausuramento das Bactérias

Após estes procedimentos, a areia é MISTURADA AO SOLO E CIMENTO, compactada e temos o tijolo ecológico, sem odores, com o dobro da resistência do tijolo cerâmico convencional e dentro das normas da ABNT.

Para se ter uma ideia, com o volume de lixo acumulado, seria possível construir milhões de casas populares através de empresas privadas, mutirões, associações, cooperativas locais, ampliando o tempo de vida útil dos aterros e evitando novos custos municipais de armazenamento de resíduos com a abertura de novos depósitos.

Agora o lixo pode deixar de ser um problema e passar a ser uma jazida de soluções renováveis.