Veja todo o processo, do início ao fim.

Como Produzir

Solo - cimento

O solo-cimento é um material de construção versátil e sustentável, obtido a partir da mistura homogênea de solo, cimento e água em proporções adequadas. Sua aplicação engloba diversas áreas da construção civil, proporcionando um produto final com características notáveis de durabilidade e resistência.

Essa técnica de construção com solo-cimento possui uma rica história milenar, sendo amplamente utilizada durante a Segunda Guerra Mundial pelos Estados Unidos na construção de pistas de aeronaves na Ilha do Pacífico. Esse contexto histórico resultou em um vasto conhecimento técnico acumulado ao longo dos anos. No Brasil, os primeiros estudos sobre a estabilização do solo-cimento datam de 1941, marcando o início de sua aplicação no país.

Atualmente, o uso do solo-cimento é uma prática consolidada e apreciada no cenário da construção civil. Sua aplicação abrange desde projetos de infraestrutura até construções residenciais, oferecendo uma alternativa econômica e sustentável para a criação de estruturas sólidas e duradouras. O solo-cimento se destaca como uma escolha inteligente para quem busca soluções eficientes, duráveis e amigas do meio ambiente na indústria da construção.

Solo - Arenoso

Composição solo

A produção de tijolos ecológicos é viável com qualquer tipo de solo, mas o solo arenoso é o mais recomendado devido ao seu excelente custo-benefício. Esse tipo de solo geralmente contém uma proporção ideal de 60% a 80% de areia e 40% a 20% de argila, proporcionando uma mistura adequada para a fabricação dos tijolos.

No entanto, caso o solo arenoso não esteja disponível, é possível utilizar um solo com propriedades mais argilosas, embora isso exija algumas correções. A adição de outros materiais, como areia ou materiais orgânicos, pode ser necessária para atingir a proporção ideal e garantir a qualidade dos tijolos. O importante é garantir que o solo utilizado tenha uma composição adequada para a fabricação dos tijolos ecológicos, assegurando a durabilidade e a resistência do produto final. Com a devida correção e controle da mistura, é possível obter excelentes resultados mesmo com solos que não se encaixem exatamente nos parâmetros ideais.

Composição Solo

Composição cimento

Hoje o cimento Portland é normalizado e existem onze tipos no mercado:

CP I – Cimento Portland comum
CP I-S – Cimento Portland comum com adição
CP II-E – Cimento Portland composto com escória
CP II-Z – Cimento Portland composto com pozolana
CP II-F – Cimento Portland composto com fíler
CP III – Cimento Portland de alto-forno
CP IV – Cimento Portland Pozolânico
CP V-ARI – Cimento Portland de alta resistência inicial
RS – Cimento Portland resistente a sulfatos
BC – Cimento Portland de baixo calor de hidratação
CPB – Cimento Portland branco

Composição Cimento

Umidade

A adição de água na mistura para a fabricação de tijolos ecológicos requer cuidado e precisão. O objetivo é alcançar a melhor compactação do material sem que o tijolo grude nas paredes da caixa molde da máquina ou se esfarele ao ser retirado. No entanto, a quantidade de água não pode ser definida previamente de forma fixa e quantitativa, pois varia de acordo com algumas variáveis, incluindo o tipo de solo utilizado.

No processo de fabricação, o aspecto visual da mistura deve se assemelhar a uma “farofa úmida”. A umidade necessária deve ser uniforme, levando em conta o tipo de solo utilizado, variando de 7% a 20% de água. Além disso, é importante considerar a umidade natural presente no solo e no cimento utilizado. Após a homogeneização, a umidade deve ser ajustada manualmente, adicionando a quantidade de água necessária para garantir uma boa prensagem.

Para verificar se a quantidade de água está correta, existem testes práticos que podem ser realizados. Um deles consiste em apertar a mistura em uma mão e, em seguida, abrir a mão. O bolo formado deve apresentar a marca dos dedos com nitidez. Caso não apresente essas marcas, significa que há falta de água na mistura, e é necessário adicionar mais água aos poucos até atingir a umidade ideal.

Umidade

Preparando o solo para a mistura

Existem dois casos a serem observados, são eles:

Triturando o solo

(No caso de torrões) O solo deve estar isento de resíduos minerais e orgânicos como pedras, galhos, madeiras, plásticos etc. Quando o solo estiver com apenas torrões naturais em solos secos e duros você poderá utilizar um triturador de solo para desfazê-los.
Solo com torrões
ECO-7-T3-TRITURADOR-600
SOLO TRITURADO

Peneirando o solo

(No caso de impurezas) Para separar resíduos minerais e orgânicos do solo (pedras, galhos, madeiras, plásticos etc.) deve-se usar uma peneira. Existem 2 (duas) maneiras diferentes para peneirar o solo. Você pode escolher a mais adequada de acordo com sua produção:
Solo com pedras
ECO-7-T3-TRITURADOR-600
SOLO PENEIRADO

Produção

Produzindo mistura

Mistura-se solo triturado ou peneirado com cimento na proporção média de 10% a 15% e umedece com água, de tal modo que haja uma estabilização do solo pelo cimento. Isso melhora as propriedades da mistura, trazendo resistência e perfeito acabamento aos blocos, tijolos ou pisos ecológicos.
solo
cimento
Úmidade

Obs: As proporções de solo e cimento variam de acordo com o material a ser produzido como (tijolos ou pisos) e também pelo tipo de solo, mas não se preocupe pois a Eco Máquinas possui técnicos para lhe auxiliar na dosagem ideal para seu solo.

Formas de mistura

Mistura automatizada

Para grandes produções aconselhamos que a mistura seja efetuada em um misturador da linha Eco Mix Force, com sistema de mistura rotativo sextavado fazendo a homogeneização de forma rápida, sem perda de tempo, umidade e sem aumentar os grumos da mistura.

Faça o carregamento do solo e do cimento gradativamente através de uma Eco TES Esteira Transportadora.

Obs.: Alguns misturadores da linha Eco Mix Force já possuem em sua base um Eco Mix Force 400 Triturador para Solo para homogeneizar novamente a mistura, desfazendo os grumos formados.

Faça o carregamento do solo e do cimento gradativamente através de uma Eco TES Esteira Transportadora.
Obs: Alguns misturadores da linha Eco Mix Force já possuem em sua base um Eco Mix Force 400 Triturador para Solo para re-homoneigizar a mistura desfazendo os grumos formados na mistura.

Através do painel ligue o misturador e vá adicionando água até obter a mistura / umidade desejada.
Obs.: Alguns misturadores da linha Eco Mix Force já possuem em sua base um Eco Mix Force 400 Triturador para Solo para re-homoneigizar a mistura desfazendo os grumos formados na mistura.

Através do painel abra a tampa para que o composto já misturado seja destinado a maquina de tijolos ecológicos.
Obs: Alguns misturadores da linha Eco Mix Force já possuem em sua base um Eco Mix Force 400 Triturador para Solo para re-homoneigizar a mistura desfazendo os grumos formados na mistura.

Mistura manual

Para produções que não utilizem os equipamentos de mistura automatizada, deve-se fazer a mistura da seguinte forma:

A – Esparrame o solo em uma superfície lisa e impermeável, formando uma camada de 20cm a 30cm.

B – Espalhe o cimento sobre o solo e misture bem, até que a mistura fique com uma coloração uniforme (igual), sem manchas de solo ou cimento.
C – Para umedecer, espalhe novamente a mistura como no item (A), adicione água aos poucos sobre a superfície usando regador ou uma mangueira com bico esguicho e misture tudo novamente.

Obs: Após a mistura umedecida, grumos serão formados. Deve-se peneirar o composto com uma peneira manual ou um Eco Mix Force 400 para Solo para homogeneizar novamente e desfazer os grumos da mistura.

Compactação

Depois da mistura pronta, basta carregar uma de nossas máquinas para produção de blocos, tijolos ou pisos ecológicos, onde será feito o carregamento, a compactação e depois o saque.
Abrir bate-papo
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?