Fundação

Apesar de ficar praticamente invisível, enterrada embaixo da construção a fundação é uma das partes mais importantes de uma obra, afinal essa é a base que sustentará o peso das paredes, pilares, vigas, lajes, coberturas e outros mantendo todo esse conjunto bem plantado no terreno, portanto, o cuidado no projeto e na execução das fundações garantem a segurança de sua obra.

Vamos citar alguns tipos de fundação, mas vale lembrar que o tipo de solo, inclinação do terreno e as condições ambientais são importantes para definir qual o tipo de fundação a ser usada, por isso consulte sempre um profissional especializado para elaborar seu projeto.

Obs.: A construção com TIJOLO ECOLÓGICO pode ser feita com qualquer tipo de fundação.

Fundações Rasas ou Diretas

Baldrame

Baldrame é um tipo comum de fundação para pequenas edificações. Constitui-se de uma viga, que pode ser de alvenaria, de concreto simples ou armado dentro de uma pequena vala para receber pilares alinhados. É mais empregada em casos de cargas leves como residência construídas sobre solo firme.

Sapata

A sapata é um bloco de concreto armado construído diretamente sobre o solo dentro de uma escavação, ela pode ser isolada (só onde existem colunas) ou corrida (por toda a extensão da construção).

Radier

Radier é um tipo de fundação que se assemelha a uma placa ou laje que abrange toda a área da construção. Os radiers são lajes de concreto armado em contato direto com o terreno que recebe as cargas oriundas dos pilares e paredes. Geralmente o radier é escolhido para fundação de obras de pequeno porte.

Fundações Profundas

Estacas

As estacas são elementos de fundação profunda executadas por equipamentos e ferramentas, podendo serem cravadas ou perfuradas. As estacas podem ser feitas de madeira, aço, concreto pré moldado, concreto moldado in loco ou mistos.

Tubulões

Tubulões são elementos de fundação cilíndricos de base alargada ou não que podem ser executados a céu aberto ou sob ar comprimido (pneumático) e com ou sem revestimento podendo este ser de aço ou concreto. Em sua etapa final de execução, é necessária a descida de um operário para completar a geometria ou fazer a limpeza da base.

Primeira Fiada

A primeira fiada indica a posição exata de cada tijolo, determinando os locais dos grautes (localização dos ferros) e as aberturas de portas e janelas, sendo executada de acordo com o projeto.

Veja o exemplo das principais plantas:

PLANTA BALDRAME

PLANTA PRIMEIRA FIADA

PLANTA GRAUTES E ABERTURAS

PLANTA INDEPENDÊNCIA DAS PAREDES

Caso a fundação escolhida não for a Radier, é muito importante fazer o contra piso para uma obra limpa e um prático armazenamento dos tijolos, ficando fácil o alcance para o construtor.

Estudos indicam que a cada 8 tijolos assentados a parede avança 1cm, sendo assim, caso a primeira fiada seja feita nas extremidades da fundação, a planta deve ser elaborada considerando esta diferença para evitar que os tijolos excedam a fundação.

Após aplicar o impermeabilizante asfáltico na posição das paredes, posicione os tijolos sem massa, ignorando os intervalos das portas, mas respeitando o local dos tijolos meio.

Depois de distribuir seguindo a planta indicamos que ultilize uma massa na proporção de 3 de areia para 1 de cimento, iniciando o assentamento pelos 4 cantos, nivelando e alinhando, só então retire os tijolos para formar os vãos das portas.

Após esta ação, faça um furo nos locais indicados de cada coluna, indicamos que corte barras de 1,6m para que não fique muito alto e dificulte o assentamento, só então aplique as barras nos furos.

Lembrando que este é o método utilizado pela grande maioria de construtores que se basearam na longa história da construção modular ecológica, porém, consulte um profissional especializado e comece a construir.

Colas para Assentamento

O tijolo ecológico pode ser assentado de varias formas, a correta escolha do tipo da cola para assentamento a ser usada em sua obra está ligada diretamente ao local de aplicação e à necessidade de cada consumidor, por isso consulte sempre um profissional capacitado.

Dentre as várias formas vamos citar as mais conhecidas e utilizadas pelos construtores:

Cola PVA (Cola Branca)

A cola PVA é a maneira mais rápida e práticas, muito utilizada no assentamento de tijolos ecológicos a cola PVA é usualmente aplicada em materiais porosos como madeira, papel, tecido e cerâmica porosa. Para que a cola fique firme leva-se de 30 minutos a 1 hora e o tempo de secagem total é de 18 a 24 horas.

Argamassa Polimérica ou (Cola Bloco, Massa Mais, Cola-Pronta, etc…)

Existindo vários tipos no mercado, a Argamassa Polimérica é uma massa para imediata colagem e endurecimento de superfícies com alto grau de resistência na colagem e aderência, ela possui uma consistência pastosa e já vem pronta para uso. Não necessita adicionar água e nem outros componentes.

Argamassa de Assentamento Convencional

Composta por cimento, areia e aditivos, precisa ser misturada com água para se ter uma massa pastosa, geralmente é empregada no assentamento de placas cerâmicas de revestimento e outros, más existem construtores que a utilizam para o assentamento de tijolos ecológicos. Os tipos mais conhecidos de argamassa são, ACI, ACII e ACIII, por isso deve se levar em conta se o local para aplicação será em uma área externa ou interna, se o local está sujeito a grandes variações de temperatura. Consulte sempre um profissional para auxiliá-lo na escolha correta.

Mistura Artesanal feita com Argamassa, Cola Branca PVA e Água

Muito conhecida entre os construtores essa mistura utiliza-se 20 partes de argamassa x 1 parte de cola branca pva, acrescente água até a consistência desejada.

Mistura Artesanal feita com Cola Branca PVA, Solo, Cimento e Água

Essa mistura utiliza-se 20 partes de solo x 2 partes de cola PVA branca x 2 partes de cimento, acrescente água até a consistência desejada. A dica é sempre utilizar um solo passado em uma peneira granulométrica mais fina possível, para melhor aderência do composto e melhor resultado final.

Assentamento sem Cola (Utilizando o sistema de Encaixe dos Tijolos)

Por ser um sistema de modular, dependendo do projeto proposto, podemos dispensar a cola entre os tijolos e utilizar somente os sistema de encaixe dos mesmos.

Assentamento

Depois da primeira fiada pronta, limpe bem a superfície para a aplicação da cola, aplique 2 filetes por fiada de forma alternada ou paralela, para que sua obra tenha um perfeito alinhamento, indica-se o assentamento de 3 a 4 fiadas nos cantos de forma a manter a sustentação da linha.

Assente os tijolos de forma regular, seguindo sempre com linha, conferindo o prumo e acompanhando todas as paredes na mesma altura.

Uma dica bem prática é subir as paredes com as esquadrias no lugar, no caso de subir as paredes sem as esquadrias confira regularmente o distanciamento do vão das portas e janelas.

O Tijolo Modular Meio é usado sempre nos términos de parede, podendo ser adquirido ou produzido no canteiro de obra com o uso de uma serra circular com disco de widia ou serrote, neste caso para um melhor acabamento indicamos que mantenha o corte voltado para os cantos e para o lado das aberturas.

Vigas e Amarrações

Um dos fatores principais para a sustentação de uma obra são as colunas e a estrutura empregada, o Sistema Construtivo Modular conta com a vantagem de embutir as colunas nas paredes, economizando na mão de obra e dispensando o uso excessivo de concreto e madeira.

Alguns construtores embutem os vergalhões das colunas (arranques) na fundação, que é o mais indicado, seguindo sempre a planta grautes e aberturas. Outros preferem colocar os vergalhões após o assentamento da primeira fiada da seguinte forma: com furadeira e broca da mesma espessura do vergalhão, faça os furos nos locais indicados na planta e depois insira os vergalhões cortados com 1,60m.

Quando o assentamento atingir a altura de meio metro, indicamos fazer a primeira amarração das colunas de sustentação utilizando os grampos (nos cantos e encontro de paredes), preenchendo todos os grautes com concreto fino (3 partes de areia X 1 parte de pedrisco X 1 parte de cimento). Repita a distribuição dos grampos nas fiadas do canaleta e também entre a contra-verga e a verga.

O Tijolo Modular Canaleta é distribuído por toda a obra, sendo utilizada como viga de amarração horizontal, recebendo ferro e concreto formando uma cinta. A cinta formada por tijolos canaleta são utilizadas em 3 fiadas em sua obra, nas contra-vergas (abaixo das janelas), vergas (acima de portas e janelas) e na ultima fiada (antes dos oitões).

Nas fiadas que receberão os tijolos canaleta são utilizados tijolos simples nos cantos, sendo feito uma cava para conduzir as ferragens e nos encontros de paredes a cava é feita no próprio tijolo canaleta.
Com as ferragens no lugar, use copos dercartáveis para manter os dutos abertos, más antes de concretar molhe as partes que receberão o concreto, isto irá auxiliar na cura.

Utilizando um funil, preencha primeiramente os dutos com os vergalhões, depois preencha os tijolos canaleta formando assim a viga de amarração. Antes da secagem completa do concreto, retire os copos e faça uma raspagem onde ultrapassar o limite de altura.

Lembre-se que o parapeito das janelas recebem um reforço, ou seja, antes de ser concretado recomendamos isolar o terceiro tijolo abaixo do canaleta em toda a extenção do parapeito, depois é só concretar normalmente.

Portas e Janelas

Seguindo a planta que indica a localização das portas e janelas, os construtores em sua maioria aplicam as portas e janelas de duas formas:

 – Inicia-se e conclui a obra até o pé direito (altura da laje) deixando o vão das portas e janelas, sendo que na evolução da obra as medidas dos vãos são conferidos regularmente para que mantenham o alinhamento.

 – Inicia-se a obra e ao chegar na altura de portas ou janelas, faz-se a aplicação das esquadrias pré-fabricadas ou até mesmo das portas ou janelas prontas, chegando no pé direito (altura da laje) com todas as esquadrias já instaladas.

Lembramos que a execução de uma obra deve ser acompanhada por um profissional capacitado.

Elétrica e Hidráulica

Além de servirem como camadas termo-acústicos, os dutos dos tijolos ecológicos também são utilizados como condutores para a rede elétrica e hidráulica, evitando a quebra das paredes como na construção convencional, mas lembre-se tenha sempre em mãos o projeto elétrico e hidráulico elaborado por um profissional capacitado.

O mais indicado é que todo o sistema elétrico e hidráulico seja instalado no decorrer do assentamento dos tijolos ecológicos, ou seja, ao terminar de levantar as paredes, toda esta parte já estará pronta.

Outra alternativa é passar a parte elétrica e hidráulica após a parede concluída, utilizando os dutos que se formam nas paredes.

Para a passagem de conduítes e encanamentos na horizontal, utilize os tijolos canaletas como condutores, concretando posteriormente.

Existem várias formas de se fazer os furos das caixas elétricas e encanamentos no tijolo ecológico, porém a mais utilizada é usar uma furadeira com broca serra copo e depois fazer o acabamento com uma lima ou formão.

Paredes Circulares

O raio mínimo para as paredes circulares é de 3 metros, evitando que as aberturas entre os tijolos fique maior que 1 cm o que poderia comprometer a elasticidade do rejunte, causando fissuras e infiltrações.

ÂNGULO 45º

Para o canto com ângulo 45º será necessário um desbaste no canto com serra circular ou serrote, na segunda fiada o desbaste é do lado inverso.

Para ângulos 45º não entrelaçado, concrete o vão deixando um espaço para o requadramento.

Tenha sempre o projeto de sua modulação feito por um profissional capacitado.

Colunas ou Pilares

O Tijolo Ecológico é perfeito para ser utilizado em pilares, colunas, muros, entre outros, pois ele é totalmente estrutural e os dutos formados no assentamento permitem a passagem de ferros verticais que depois de concretados formam um conjunto super resistente.

A praticidade no assentamento do Tijolo Ecológico permite erguer uma coluna em poucos minutos, dispensando caixarias e moldes, o resultado final são colunas com um belo acabamento e alta resistência. Lembre-se tenha sempre o projeto de sua modulação feito por um profissional capacitado.

Veja alguns exemplos da aplicação dos tijolos ecológicos na forma de colunas:

Pisos Ecológicos

O Assentamento do Piso Ecológico é rápido, prático, bonito e possui um ótimo custo benefício, já que se adaptam a todos os tipos de ambientes permitindo o tráfego de pessoas e veículos.

O Piso Ecológico é assentado de preferência com areia em uma superfície plana e compactada, com o auxílio de uma marreta de borracha encaixe um a um, após o assentamento é necessário fazer o preenchimento dos vãos espalhando areia com uma vassoura ou rodo, depois retire o excesso, como nas imagens abaixo.

Após o assentamento os Pisos Ecológicos podem receber uma camada de resina ou até mesmo uma pintura, veja alguns exemplos de Pisos Ecológicos já finalizados.